Maria da Conceição Tavares

A professora universitária e economista Maria da Conceição Tavares, nasceu em Anadia, Portugal em 24 de Abril de 1930. Veio para o Brasil em 1954, após formar-se em matemática pela Universidade de Lisboa. Cidadã brasileira desde 1957. Cursou economia pela Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro, de 1957 a 1960 e ingressou como pesquisadora no corpo técnico da CEPAL em 1962 onde produziu o seu estudo clássico sobre “Auge e declínio da substituição de importações no Brasil”. Doutorou-se em economia da indústria e da tecnologia pela UFRJ em 1975. Foi fundadora do programa de Pós-graduação e do Instituto de Economia Industrial da UFRJ, do qual foi diretora de 1986 a 1989. É Doutora Honoris Causa da Universidad de Buenos Aires desde 2001 e Professora Emérita da UFRJ desde 1993.

Destacou-se pela crítica aos modelos econômicos impostos ao Brasil durante o regime militar, sendo uma das responsáveis pelo modo contemporâneo de pensar a economia política, com suas teses "Acumulação de capital e industrialização no Brasil" e "Ciclo e crise: o movimento recente da economia brasileira", da década de 1970. A partir da década de 1980 iniciou suas pesquisas sobre Economia Política Internacional, Hegemonia Americana e Capitalismo Globalizado, que continuou até a atual Crise Internacional.

Como intelectual militante lutou pela formação da Associação Nacional de Pós-graduação em Economia, para promover os cursos de pós-graduação e as pesquisas na área. No Rio de Janeiro, com um grupo de economistas, promoveu o movimento de renovação dos economistas na luta por uma sociedade democrática e desenvolvida.

Na luta político-partidária, Conceição fez parte do grupo político de Ulisses Guimarães que levou à reforma democrática do Estado de 1988. Durante o período das reformas neoliberais, de 1994 a 1998, como deputada federal pelo PT/RJ defendeu as empresas estatais de energia, a exemplo da Petrobras e da Eletrobras, como instrumento de manutenção da autonomia econômica brasileira.

Em 2005, junto com um grupo importante de intelectuais brasileiros, fundou o Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento - CICEF.

Recebeu o Prêmio Almirante Álvaro Alberto 2011. Atualmente é professora e pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Economia Política Internacional, do Instituto de Economia da UFRJ.

 

 

Realização

Apoio