www.centrocelsofurtado.org.br


Participantes - 4º Congresso do Centro Celso Furtado | 2018


Imprimir



 

 
   
 

Conferencistas 
 

     

Embaixador Celso Amorim

O embaixador Celso Amorim é o chanceler brasileiro mais longevo no exercício da função, tendo ocupado o cargo em duas ocasiões: de 1993 a 1994, com o presidente Itamar Franco, e de 2003 a 2010, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sob sua gestão mais recente, a realização de uma política externa em prol da autonomia e do desenvolvimento, consubstanciada no lema de uma diplomacia “ativa e altiva”, resultou na projeção de uma imagem positiva do país e na liderança de proposições de mudanças do cenário internacional. Entre as muitas conquistas para a diplomacia de nosso país, o chanceler destaca a criação do IBAS, fórum de diálogo Índia, Brasil e África do Sul, iniciativa que antecedeu a formação dos BRICS. Celso Amorim foi também ministro da Defesa, no governo da presidenta Dilma Rousseff, do qual ressalta a criação da Escola Sul-Americana de Defesa, na União de Nações Sul-Americanas – UNASUL.
 

Luciano Coutinho (Unicamp)

Ex-presidente do BNDES, professor e um dos fundadores do Instituto de Economia da Unicamp. É mestre e doutor em Economia pela Universidade de Cornell (EUA). Foi professor visitante nas Universidades de Paris XIII, do Texas, do Instituto Ortega y Gasset e da USP. Formou-se em Economia pela USP e, durante o curso, recebeu o prêmio Gastão Vidigal como melhor aluno de Economia de São Paulo. Especialista em economia industrial e internacional, escreveu e foi organizador de vários livros, além de ter extensa produção de artigos, publicados no Brasil e no exterior. Seus estudos acadêmicos sempre tiveram como temas principais a política industrial e o lado real da economia.
 



Palestrantes (ordem alfabética)
 

André Furtado (DPCT/Unicamp)

É professor titular do Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas. É doutor em Ciências Econômicas - Université de Paris I (Pantheon-Sorbonne) (1983). Publicou 85 artigos em periódicos especializados e 112 trabalhos em anais de eventos. Possui 32 capítulos de livros e 3 livros publicados. Orientou 27 dissertações de mestrado e 14 teses de doutorado na área de Política Científica e Tecnológica, Planejamento Energético e Geografia. Recebeu 2 prêmios e/ou homenagens. Atua na área de Economia, com ênfase em Mudança Tecnológica. Em suas atividades profissionais interagiu com 65 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Em seu currículo Lattes os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Avaliação de Grandes Programas Tecnológicos, Petrobras, Industria do Petróleo, Economia da Inovação, Política Científica e Tecnológica, Capacitação Tecnológica, Fornecedores da Indústria de Petróleo, Avaliação de P&D, Inovação Tecnológica e Petróleo.
 

Antonio Correa de Lacerda (PUC/SP)

É professor doutor e diretor da Faculdade de Economia, Administração, Ciências Contábeis e Atuariais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). É professor convidado da Fundação Dom Cabral e da FIA- Fundação Instituto de Administração. Possui doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2003), mestrado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998) e graduação em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1981). Foi coordenador do Programa de Estudos Pós-graduados em Economia Politica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde também coordena o Grupo de Pesquisas em Desenvolvimento Econômico e Política Econômica (DEPE). Foi presidente da Sobeet-Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (2000-2005), ex- presidente do Conselho Federal de Economia (Cofecon), em 1999 e ex- presidente do Conselho Regional de Economia de São Paulo (1995-1997), foi membro do Conselho Fiscal da ELETROBRAS- Centrais Elétricas Brasileiras (1995-1997). Foi diretor do Centro Internacional Celso Furtado, e é membro do Conselho Temático de Política Econômica da CNI (Confederação Nacional da Industria). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em políticas macroeconômicas, Projeções Econômicas, atuando principalmente nos seguintes temas: economia brasileira, globalização, brasil-política econômica, economia industrial, economia internacional e politica econômica.
 

Artur Henrique Santos (Fundação Perseu Abramo)

É diretor da Fundação Perseu Abramo, ex-presidente nacional da CUT e ex-Secretário de Desenvolvimento, Trabalho, Empreendedorismo e Segurança Alimentar da Prefeitura de São Paulo na gestão do prefeito Fernando Haddad.

Carmem Feijó (UFF)

Economista pela UFRJ, com mestrado em Economia da Produção pela UFRJ e doutorado em Economia - University College London. Ocupou no biênio 2008-2009 a Secretaria Executiva da Associação Nacional de Pós Graduação em Economia (ANPEC); assumiu em setembro de 2011 a função de Coordenadora-adjunta da área de Economia da CAPES (triênio 2010-2013), e em maio de 2012 a Coordenação da área. Desde 2015 é editora dos Cadernos do Desenvolvimento do Centro Internacional Celso Furtado. É membro-eleita do International Statistical Institute (ISI) desde 1998 e professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) desde 1992. Trabalhou como pesquisadora no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) até 2003.
 

David Kupfer (IE/UFRJ)

É Professor Associado do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é Diretor Geral do Instituto de Economia da UFRJ onde também coordena o grupo de pesquisa em Indústria e Competitividade (GIC-IE/UFRJ) e Editor da Revista de Economia Contemporânea. Possui mestrado em Economia da Indústria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986) e doutorado em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998). Entre 2011 e 2014 foi cedido ao BNDES onde atuou como Assessor da Presidência. Recebeu o Prêmio Jabuti de melhor livro da área de Economia E negócios no ano de 1996 com o livro "Made in Brazil: Desafios Competitivos da Indústria Brasileira" e no ano de 2002 com o livro "Economia Industrial: Fundamentos Teóricos e Práticas no Brasil". Tem experiência na área de Economia, Economia Industrial, atuando principalmente nos seguintes temas: Competitividade, Política Industrial, Indústria Brasileira, Estratégias Empresariais e Padrões de Desenvolvimento Econômico.

  Eduardo da Motta Albuquerque (CEDEPLAR/UFMG)

É professor titular do Departamento de Ciências Econômicas e do Cedeplar da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Autor do livro AGENDA ROSDOLSKY (publicado pela Editora UFMG em 2012). Foi pesquisador visitante no King's College, London, entre setembro de 2014 e agosto de 2015. Possui doutorado em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998), que inclui um período sanduíche no SPRU (University of Sussex, UK) entre novembro de 1996 e outubro de 1997. Mestre em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995) e graduado em Economia pelo Centro Universitário Newton Paiva (1992). Atua em duas linhas de pesquisa: 1) Economia política contemporânea; 2) Sistemas de inovação, sistemas de bem-estar social e desenvolvimento.
 

Esther Dweck (UFMG)

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) e doutorado em Economia da Indústria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006), com Doutorado Sanduíche em Pisa, Itália. É Professora Adjunta do Instituto de Economia da UFRJ e atualmente é Assessora Parlamentar no Senado. Entre junho de 2011 e março de 2016, atuou no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, no cargo de Chefe da Assessoria Econômica e como Secretária de Orçamento Federal. E entre março de 2016 e maio de 2016, ocupou o cargo de Subchefe de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil da Presidência da República.
 

 

João Eduardo de Morais Pinto Furtado (USP)

É professor assistente-doutor da Escola Politécnica da USP. Professor assistente-doutor da UNESP (até 2009), foi credenciado como professor-orientador do programa de pós-graduação em Política Científica e Tecnológica da UNICAMP. Tem graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (1981), mestrado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (1984) e doutorado em Sciences Économiques - Universite de Paris XIII (Paris-Nord) (1997), com especialização sobre “Estratégias e Políticas Industriais e Tecnológicas” na CEPAL/ONU (Santiago do Chile, 1991). Exerceu funções de assessoria no Congresso Nacional (Comissão Parlamentar de Inquérito sobre “Causas e consequências do atraso industrial e tecnológico”, 1991-92), na FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos (1999-2002), e no BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (2005-2007). Coordenou diversos projetos de pesquisa (Cadeias Produtivas na Globalização e Diretório da Pesquisa Privada ? www.finep.gov.br/portaldpp). Fundou (1992) e dirigiu durante mais de 10 anos o Grupo de Estudos em Economia Industrial, formando dezenas de jovens pesquisadores em Economia Industrial, da Tecnologia e da Inovação e promovendo anualmente o Seminário de Economia Industrial. Coordena o Observatório de Estratégias para a Inovação. É fundador e foi Editor-Executivo da Revista Brasileira de Inovação. Orientou dezenas de trabalhos de iniciação científica, monografias de conclusão de curso, dissertações de mestrado e teses de doutorado. Produziu e publicou uma centena de artigos, capítulos de livros e relatórios técnicos. Exerceu, na FAPESP, a função de coordenador-adjunto para as áreas de inovação e para os programas PIPE e PITE (2007-2013). É conselheiro da FIESP (Conselho Superior de Tecnologia) e foi conselheiro (Conselho Superior) da Fundação Escola de Sociologia e Política. Linhas de pesquisa: economia da tecnologia e da inovação; estratégias e políticas industriais e tecnológicas; estudos setoriais; análise de estratégias competitivas e de tecnologia e inovação. Criou uma série de empresas emergentes de base tecnológica (start-ups) em diversas áreas do conhecimento - biotecnologia, equipamentos, informática, serviços avançados.

Jorge Saba Arbache Filho (UnB / Secretaria de Assuntos Internacionais – Ministério do Planejamento)

É Secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e professor adjunto nível III da Universidade de Brasília. Possui graduação em Economia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1986), graduação em Direito pelo Instituto de Ciências Jurídicas e Sociais Vianna Júnior (1987), mestrado em Economia pela Universidade de Brasília (1990) e doutorado em PhD in Economics pela University of Kent (1998). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia dos Recursos Humanos. Atuando principalmente nos seguintes temas: wage determination, wage dispersion, wage structure.

José Eduardo Cassiolato (UFRJ)

Possui graduação em Economia pela Universidade de São Paulo, mestrado e doutorado em Economia pela Universidade de Sussex e pós-doutorado pela Université Pierre Mendes-France. Atualmente é professor associado 4 da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenador da RedeSist, Diretor do Centro de Altos Estudos Brasil Século XXI e professor convidado - Universite de Rennes I.
 

 

Marcelo Arend (UFSC)

É Professor Adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no Departamento de Economia e Relações Internacionais. Atua nas áreas de Economia Política, Mudança Estrutural e Desenvolvimento Econômico, com ênfase nas discussões em Desenvolvimento Industrial e Mudança Tecnológica e Institucional. Tem Pós-Doc pela Universidad Autónoma de Madrid). É Doutor em Economia (UFRGS), Mestre em Economia (UFSC) e Bacharel em Ciências Econômicas (UFSM). No período 2012/2013 foi Pesquisador Visitante do IPEA.
 

 

Marcio Nobre Migon (BNDES)

Chefe do Departamento de Apoio às Exportações do Setor Aeronáutico e de Defesa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)

 

 

 

Marcio Pochmann (IE/Unicamp / Fundação Perseu Abramo)

É professor titular no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas e Diretor Executivo da Fundação Perseu Abramo. Possui graduação em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1984) e doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (1993). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Social e do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: emprego, educação, relações de trabalho, sindicalismo e políticas públicas sociais e de mercado de trabalho.
 


Paulo Cesar Smith Metri (CREA-RJ/Clube de Engenharia) 

PUC-RJ/68. Mestre em Engenharia Industrial. Trabalhou na Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). Foi Diretor das INB. Trabalhou na FINEP, FAPERJ, CERJ, Montreal Engenharia e nos Ministérios de Minas e Energia (MEE) e Indústria e Comércio (MIC).  Foi conselheiro e ex-diretor da FEBRAE. Foi diretor ABEN e chefe da Divisão de Energia e da Divisão de Engenharia Industrial do Clube de Engenharia, de onde é Conselheiro Vitalício. É vice-presidente do CREA-RJ.

 

 

Pedro Celestino da Silva Pereira Filho (Presidente do Clube de Engenharia)

Engenheiro civil. Cursou também o Instituto Superior de Estudos Brasileiros – ISEB. Militante e quadro do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e por isso perseguido, preso e torturado pela Ditadura Civil-Militar. Foi presidente do Conselho de Administração da Infraero e atualmente presidente do Clube de Engenharia. Propositor, junto com o vice-presidente Sebastião Soares, da concessão de espaço no prédio do Clube de Engenharia, no Rio de Janeiro, para a mudança do Centro Celso Furtado das antigas instalações.

 

Reinaldo Felippe Nery Guimaraes (NUBEA/UFRJ)

Graduou-se em Medicina em 1971 na Universidade Federal do Rio de Janeiro e é MSc. em Medicina Social (1978). Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal da Bahia - 2012 Entre 1972 e 1984. Foi professor e pesquisador na Área de Saúde Coletiva (Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Desde 1985 trabalha no campo do Planejamento, Gestão e Políticas de Ciência e Tecnologia e de Saúde. Vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (ABIFINA) (2011 - 2017). Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (2007 - 2010) Vice-presidente de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Fundação Oswaldo Cruz (2005-2006) Diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde (2003 - 2005) Presidente do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) (2003-2006). Conselheiro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (2001-2005). Membro do Conselho Diretor da Revista Ciência Hoje, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (2000-2003). Pesquisador Visitante e Consultor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), onde coordenou o projeto do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil (1992-2003). Membro do Conselho Superior da CAPES do Ministério da Educação como representante da comunidade científica (1996 - 1999). Membro do Conselho Deliberativo do CNPq (1985-1988 e 2007-2010). Diretor da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) do Ministério da Ciência e Tecnologia (1985 - 1988). Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico – 2008; Grande Oficial da Ordem Nacional do Mérito Médico – 2010.
 

 

Roberto Saturnino Braga (Diretor-Presidente do Centro Celso Furtado)

Formado em engenharia civil e econômica, com cursos da CEPAL e do ISEB. Foi funcionário do BNDES. Teve longa vida política, como vereador, deputado federal e senador por três mandatos, tendo sido o primeiro prefeito do Rio de Janeiro eleito pelo voto direto do povo. É escritor. Preside o Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento e o Instituto Cultural Casa Grande.
 

Rosa Freire d’Aguiar (Membro do Conselho Deliberativo/CICEF)

Jornalista. Foi correspondente em Paris das publicações da editora Bloch e da revista IstoÉ. Tradutora de autores como C. Lévi-Strauss, M. Vázquez Montalbán, L.-F. Céline, M.Vargas Llosa, J.-P. Vernant, J. Semprún, E. Sabato, H. de Balzac, I. Calvino, M. de Montaigne, Stendhal, M. Barbery. Editora da coleção Arquivos Celso Furtado e ex-presidente Cultural do Centro Celso Furtado, atualmente é membro do Conselho Deliberativo.

 

Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães (Presidente do Conselho Deliberativo/CICEF)

Embaixador. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil (atual UFRJ) em 1963, ingressou no Itamaraty nesse mesmo ano. É mestre em economia pela Boston University. Doutor Honoris Causa pelas Faculdades Integradas do Brasil, Universidade Cândido Mendes e Universidade Nacional de Rosário, Argentina.
Ocupou diferentes cargos públicos Diretor da Assessoria de Cooperação Internacional da Sudene e a vice-presidência da Embrafilme.
Foi diretor do Instituto de Pesquisas em Relações Internacionais (IPRI) do Itamaraty. Depois foi secretário-geral das Relações Exteriores do Ministério das Relações Exteriores de 2003 a 2009, quando foi nomeado como ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE).
Em 2011 o embaixador foi designado Alto-Representante Geral do Mercosul.
Foi professor da Universidade de Brasília e de pós-graduações da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, da FGV e da Universidade Federal do Rio de Janeiro.  Atualmente, é professor do Instituto Rio Branco (IRBr/MRE).
É autor de inúmeros livros dos quais se destacam “Quinhentos anos de periferia” e “Desafios brasileiros na era dos gigantes”. Por este último, Samuel Pinheiro Guimarães foi eleito Intelectual do Ano, recebendo o Troféu Juca Pato da União Brasileira de Escritores.
Atualmente é presidente do Conselho Deliberativo do Centro Celso Furtado.
 

 

 

 

 

 






Centro Celso Furtado © 2006 - Todos os direitos reservados