www.centrocelsofurtado.org.br


Conselho Deliberativo


Imprimir



O órgão deliberativo máximo do Centro Celso Furtado é a Assembleia Geral dos sócios, de onde emana o Conselho Deliberativo a quem compete, segundo o estatuto do Centro Celso Furtado, propor as orientações gerais que norteiam as atividades desenvolvidas pelo Centro.


Os atuais membros do Conselho Deliberativo foram aprovados pela Assembleia Geral de 5 de outubro de 2018, para um mandato de três anos  (a partir de 19 de outubro de 2018), conforme o Estatuto. Integram ainda o Conselho Deliberativo o diretor-presidente do Centro e os representantes dos sócios-patronos. 

 

Composição do Conselho

 

Membros Eleitos
 

  • André Tosi Furtado

Andre Tosi Furtado concluiu o doutorado em Ciências Econômicas - Université de Paris I (Pantheon-Sorbonne) em 1983. Atualmente é Professor Titular do Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas. Publicou 85 artigos em periódicos especializados e 112 trabalhos em anais de eventos. Possui 32 capítulos de livros e 3 livros publicados. Orientou 27 dissertações de mestrado e 14 teses de doutorado na área de Política Científica e Tecnológica, Planejamento Energético e Geografia. Recebeu 2 prêmio e/ou homenagem. Atua na área de Economia, com ênfase em Mudança Tecnológica. Em suas atividades profissionais interagiu com 65 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Avaliação de Grandes Programas Tecnológicos, Petrobras, Industria do Petróleo, Economia da Inovação, Política Científica e Tecnológica, Capacitação Tecnológica, Fornecedores da Indústria de Petróleo, Avaliação de P&D, Inovação Tecnológica e Petróleo. http://lattes.cnpq.br/8444233927942764            

 

  • Antonio Correa de Lacerda

Possui doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2003), mestrado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998) e graduação em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1981). Atualmente é professor doutor e diretor da Faculdade de Economia, Administração, Ciências Contábeis e Atuariais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Foi,coordenador do Programa de Estudos Pós-graduados em Economia Politica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde também coordena o Grupo de Pesquisas em Desenvolvimento Econômico e Política Econômica (DEPE). É professor convidado da Fundação Dom Cabral e da FIA- Fundação Instituto de Administração. Foi presidente da Sobeet-Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (2000-2005), ex- presidente do Conselho Federal de Economia (Cofecon), em 1999 e ex- presidente do Conselho Regional de Economia de São Paulo (1995-1997), foi membro do Conselho Fiscal da ELETROBRAS- Centrais Elétricas Brasileiras (1995-1997). Foi diretor do Centro Internacional Celso Furtado, e é membro do Conselho Temático de Política Econômica da CNI (Confederação Nacional da Industria) Tem experiência na área de Economia, com ênfase em políticas macroeconômicas, Projeções Econômicas, atuando principalmente nos seguintes temas: economia brasileira, globalização, brasil- política econômica, economia industrial, economia internacional e politica econômica. http://lattes.cnpq.br/2492665132239530           

 

  • Gilberto Bercovici

Professor Titular de Direito Econômico e Economia Política da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (Departamento de Direito Econômico, Financeiro e Tributário). Graduado em Direito pela Universidade de São Paulo (1996), é Doutor em Direito do Estado pela Universidade de São Paulo (2001) e Livre-Docente em Direito Econômico pela Universidade de São Paulo (2003). A ênfase da sua produção está voltada para as áreas de Direito Econômico, Economia Política, Teoria do Estado, História do Direito Público e Teoria da Constituição, desenvolvendo pesquisas em torno dos temas de Estado e Subdesenvolvimento, Desenvolvimento Econômico, Papel do Estado na Economia, Política Econômica e Soberania. http://lattes.cnpq.br/0076381506427793           

 

  • Ingrid Sarti

Professora de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Docente do Programa de Pós-graduação em Economia Política Internacional (PEPI)e de Ciência Política no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS). Membro do Grupo de Reflexão de Relações Internacionais (GRRI), coordena o Grupo de Pesquisa CNPq Integração Sul: Autonomia e Desenvolvimento e participa ainda das seguintes redes: Grupo de Trabalho Clacso (Geopolítica, Sistema Global e Integração Regional); Rede Celso Furtado (Comunicação, Cultura e Desenvolvimento) e Laboratório de Estudos de Mídia e Relações Internacionais (LEMRI). Foi presidente do Fórum Universitário Mercosul (FoMerco 2011-2015) e professora visitante no Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA) da Universidade Federal da Integração da América Latina (Unila), de cuja Comissão de Implantação fez parte (2008-2010). Coordenou o Programa de Pós-graduação em Ciência Política (PPGCP) do IFCS/UFRJ; foi colaboradora da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência SBPC (2003-2007) e do Comitê Diretivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (Clacso 2010-2012). Áreas de pesquisa: teoria política; cooperação internacional e integração regional da América do Sul. Doutora (Iuperj) e Mestre em Ciência Política (Stanford University e Universidade de São Paulo), bacharel em Ciências Sociais (Universidade de São Paulo). Dentre as publicações, estão Por uma integração ampliada da América do Sul no Século XXI (org.), 2013; Ciência, Política e Sociedade. As ciências sociais na América do Sul (org.), 2007; Da outra margem do rio: os partidos políticos em busca da utopia, 2006; Porto Vermelho, estudo sobre os estivadores no porto de Santos, 1980; e os artigos ?Desafios à Esquerda. Notas sobre a Integração em tempos de Crise?, 2017 e ?Comunicação e dependência: um equívoco?, 2015/1979.  http://lattes.cnpq.br/4227833327605633           

 

  • Luis Manuel Rebelo Fernandes

Possui graduação em Relações Internacionais pela Georgetown University (1979), mestrado em Ciência Política (Ciência Política e Sociologia) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ (1989) e doutorado em Ciência Política (Ciência Política e Sociologia) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ (1997). Atualmente é professor do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Como gestor público, exerceu as funções de Secretário Executivo do Ministério do Esporte (de 2012 a 2015) e Coordenador do Grupo Executivo da Copa do Mundo 2014 (GECOPA), Presidente da Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP (de 2007 a 2011), Secretário Executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia (de 2004 a 2007) e Diretor Científico da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ (de 1999 a 2002). Sua atividade de pesquisa concentra-se em temas de Economia Política das Relações Internacionais; com destaque para os Desafios da Inovação e do Desenvolvimento na Era do Conhecimento, as Transformações nos Estados Socialistas e Ex-Socialistas, e a Reconfiguração das Relações de Poder no Sistema Internacional Pós-Guerra Fria. http://lattes.cnpq.br/9268052528216772

 

  • Sergio Wanderley

Professor do PPGA da Unigranrio. Doutor e mestre em Administração na Ebape/FGV. Graduado em economia pela UFRJ. Principais publicações aparecem nos Cadernos EBAPE, na Revista de Administração Pública, na Revista de Administração de Empresas, na Critical Perspectives on International Business e na Management & Organizational History. Participação em congressos nacionais e internacionais de administração, tais como 3Es, Enanpad, Academy of Management, Critical Managmenet Studies e Laemos. Revisor dos períodicos Organization, Academy of Management Learning and Education, Qualitative Research on Organization and Management, Postcolonial Studies, Cadernos Ebape, Cuadernos de Economia da Universidade de Bogotá. Mais de 20 anos de experiência em comércio internacional de commodities agrícolas com atuação em empresas nacionais e multinacionais. MBA pela Fundação Dom Cabral e cursos de extensão no IMD e INSEAD. Fluente em inglês, francês, italiano e espanhol e bom conhecimento de alemão. Meus interesses de pesquisa são: história da educação e ensino em administração, estratégias de internacionalização e governança corporativa. http://lattes.cnpq.br/4325227503327272           

 

  • Vera Cepêda

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1992), mestrado e doutorado em ciência política pela Universidade de São Paulo (1998; 2004) e pós-doutorado em ciência política pelo IESP/UERJ (2016). Atualmente é professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos/UFSCar na graduação, atuando no Programa de Pós-graduação em Ciência Política (PPGPol) e no Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS). Desenvolve pesquisas no campo do pensamento político e social brasileiro, em especial nos temas das interpretações sobre o Brasil, na atuação de instituições, intelectuais e teorias ligados ao problema do desenvolvimento, da democracia e das capacidades e ação do Estado em contexto periférico. Pesquisa também o processo de construção e os resultados de políticas públicas para inclusão social e equidade em período recente. http://lattes.cnpq.br/4917331423373631        
      

Atualizado em 19 de outubro de 2018. 






Centro Celso Furtado © 2006 - Todos os direitos reservados